Os melhores filmes sobre relacionamentos homossexuais

No cinema, a representação do personagem homossexual remonta ao século passado onde, em 1895, Thomas Edison apresentou o filme “The Gay Brothers”, em que dois homens dançavam ao som de um violino. Desde então, a produção de filmes de temática gay têm-se multiplicado, estreando histórias verdadeiramente apaixonantes.

1. A Caminho de Idaho (My Own Private Idaho, 1991)

“A Caminho de Idaho” é um filme de 1991, realizado por Gus Van Sant e protagonizado por River Phoenix e Keanu Reeves – dois jovens de programa que tentam ganhar a vida nas ruas. Mike Waters (River Phoenix) sofre de narcolepsia, que provoca ataques de sono profundo quando tem emoções fortes, e sonha com a mãe por quem foi abandonado. Decide iniciar um road trip pelo estado de Idaho em busca da sua mãe, sempre acompanhado por Scott Favor (Keanu Reeves), filho do presidente da câmara de Portland. Os dois jovens acabam por se envolver na prostituição, o que lhes traz os mais diversos problemas.

2. Filadélfia (Philadelphia, 1993)

Filme de 1993, “Filadélfia” retrata a história de Andrew Beckett (Tom Hanks), um promissor advogado homossexual que trabalha num prestigiado escritório de advocacia em Filadélfia. Quando Andrew adoece e começa a apresentar os primeiros sintomas de SIDA, confirma-se que ele é portador do vírus HIV. A notícia chega rapidamente ao escritório e Andrew é demitido. É então que, sentindo-se injustiçado e vítima de preconceito, contrata Joe Miller (Denzel Washington), um advogado homofóbico, para o defender em tribunal. O caso acaba por se tornar muito noticiado nos meios de comunicação social e estes dois homens iniciam um caminho que muda as suas vidas: Andrew luta pela justiça e pela sua reputação; e Joe luta para enfrentar os seus próprios preconceitos.

3. Priscilla, a Rainha do Deserto (The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert, 1994)

“As Aventuras de Priscilla, Rainha do Deserto”, um clássico do cinema mundial que remonta a 1994, conta a história de duas drag queens, Anthony / Mitzi (Hugo Weaving) e Adam / Felicia (Guy Pearce) e de um transexual, Bernadette / Ralph (Terence Stamp), que são contratados para fazer um espetáculo em Alice Springs, uma cidade turística no deserto australiano. Partem para o local do espetáculo, a bordo de um autocarro chamado Priscilla, mas durante a viagem descobrem que a pessoa que os contratou para o show é a ex-mulher de Anthony. Para piorar ainda mais a situação, o autocarro avaria no meio do deserto e tem de ser consertado por Bob (Bill Hunter), que passa a viajar com eles. Presos no meio do nada, tudo pode acontecer…

4. O Padre (The Priest, 1994)

Com realização de Antonia Bird, este filme de 1994 explora alguns assuntos religiosos e controversos, tais como: o celibato, o incesto, o abuso sexual e a homossexualidade. “O Padre”conta a história do Padre Greg (Linus Roache) que, depois de ser enviado para uma paróquia em Liverpool, começa a questionar a Igreja quando descobre que o seu superior, o Padre Matthew (Tom Wilkinson), não cumpre o celibato. Para além disso, vive atormentado com a confissão de uma menina de 14 anos que lhe revela ser vítima de abusos sexuais perpetrados pelo seu próprio pai, uma vez que não pode quebrar o sigilo da confissão. O Padre Greg vê-se assim dividido entre as regras da Igreja e os problemas que testemunha, entre a sua vocação e a sua sexualidade, tendo em conta que acaba por descobrir que é homossexual ao apaixonar-se por um rapaz. Até que ponto é que a sua fé será abalada por estes acontecimentos?

5. Os Rapazes Não Choram (Boys Don't Cry, 1999)

Baseado na história real de Brandon Teena, o filme “Os Rapazes Não Choram” foi realizado por Kimberly Pierce, em 1999. Retratando a vida e a morte de Teena Brandon (Hilary Swank), esta é a história de uma mulher que, inserida num ambiente de preconceito, decide dissimular as suas origens femininas, reivindicando uma nova identidade masculina. Ao fazer-se passar por um homem – agora conhecida simplesmente por Brandon – consegue dissimular a sua condição homossexual sem sofrer ataques à sua integridade física e moral pela comunidade de Falls City, cidade onde se estabelece depois de fugir de casa. Nesta nova morada, Brandon acaba por conhecer a jovem Lana (Chloë Sevigny) por quem se apaixona e acaba por se envolver com John (Peter Sarsgaard), um amigo de Lana. Com o passar do tempo e o maior envolvimento entre os dois, começam a surgir desconfianças e a verdadeira identidade sexual de Brandon vem a público. Esta revelação desperta uma onda de preconceito, violência, caos e desordem na cidade, terminando com um final pouco feliz.

6. Madame Satã (Madame Satã, 2002)

Dirigido por Karim Aïnouz, “Madame Satã”é um filme brasileiro de 2002 e já foi considerado o melhor filme brasileiro dentro da temática da homossexualidade. Retratando a vida do célebre transformista João Francisco dos Santos (Lázaro Ramos), um herói, criminoso, presidiário, pai de 7 filhos adotivos, amante, travesti e homossexual orgulhoso, que nasceu numa família de escravos no norte do Brasil e foi vendido pela mãe aos 7 anos de idade. Procurou a liberdade nas ruas da Lapa, Rio de Janeiro, e sempre sonhou tornar-se uma estrela dos palcos.

Em 1932, depois de deixar a prisão, João Francisco vai viver com Laurita (Marcélia Cartaxo), prostituta e a sua "esposa"; Firmina, a filha de Laurita; Tabu (Flávio Bauraqui), o seu cúmplice; Renatinho (Felippe Marques), o seu amante e também traidor; e ainda Amador (Emiliano Queiroz), dono do bar Danúbio Azul. É neste ambiente que João decide transformar-se na Madame Satã, inspirado no filme com o mesmo nome de 1932, que João viu e adorou, realizando, desta forma, o seu grande sonho.

7. Má Educação (La mala educación, 2004)

“Má Educação”é um filme espanhol de 2004, dirigido por Pedro Almodóvar, que conta a história de Ignacio (Gael Garcia Bernal), que em criança estudou num colégio interno católico, onde foi vítima de abusos sexuais cometidos pelo diretor do colégio e seu professor de Literatura, o Padre Manolo (Daniel Gimenez). É também neste colégio que Ignacio conhece o amor ao lado do seu colega Enrique (Fele Martínez), que acaba por ser expulso devido aos ciúmes do Padre Manolo. Anos mais tarde, Ignacio reencontra Enrique, com quem relembra histórias do passado e ambos voltam a reencontrar-se com o Padre Manolo, reencontro esse que marcará a sua vida e morte.

8. O Segredo de Brokeback Mountain (Brokeback Mountain, 2005)

Realizado por Ang Lee, em 2005, “O Segredo de Brokeback Mountain” ganhou vida a partir do argumento escrito por Diana Ossana e Larry McMurtry, tendo sido adaptado do conto homónimo de Annie Proulx. O filme retrata o complexo relacionamento homossexual de Jack Twist (Jake Gyllenhaal) e Ennis del Mar (Heath Ledger), dois jovens vaqueiros que se conhecem no verão de 1963, após serem contratados temporariamente para cuidar das ovelhas de Joe Aguirre (Randy Quaid), numa montanha chamada Brokeback. Enquanto Jack deseja ser cowboy, Ennie sonha com o seu casamento com Alma (Michelle Williams) no fim desse verão. Contudo, ao viverem isolados, tornam-se cada vez mais íntimos e iniciam um relacionamento emocional, sexual e romântico, envolto de receios e conflitos pelo contexto vivido na época. Quando o verão termina, ambos seguem as suas vidas, mas não conseguem esquecer os momentos que viveram naquela montanha, e o relacionamento mantém-se durante 18 anos.

9. C.R.A.Z.Y. – Loucos de Amor (C.R.A.Z.Y., 2005)

“C.R.A.Z.Y.” é um filme de 2005, rodado no Quebeque, no Canada, econta a história de Zac, um jovem que vive com os seus quatro irmãos (Christian, Raymond, Antonie e Yvan), com o pai conservador e com a mãe religiosa e muito protetora. À medida que vai crescendo, Zac descobre a sua homossexualidade e vê-se obrigado a lidar com o conflito entre a sua sexualidade e o seu desejo de agradar o seu pai rígido e homofóbico.

10. Milk – A Voz da Igualdade (Milk, 2008)

“Milk”é um filme biográfico, realizado pelo norte-americano Gus Van Sant em 2008, e baseia-se na vida de Harvey Milk (Sean Penn), homossexual assumido que sempre lutou pelos direitos dos homossexuais. Josh Brolin, Emile Hirsch e James Franco juntam-se a Sean Penn, completando assim o elenco principal deste filme.

No início da década de 70, Harvey Milk decide mudar-se para São Francisco com o seu namorado de longa data, Scott Smith (James Franco), na esperança de encontrar uma comunidade mais tolerante aos relacionamentos homossexuais. Em pouco tempo, Milk acaba por se tornar um ativista dos direitos e da igualdade de oportunidades para homossexuais e a extinção da discriminação sexual. Cada vez mais envolvido no mundo político, em 1977, Milk acaba por ocupar um cargo público, tornando-se o primeiro político assumidamente homossexual a ser eleito nos EUA. Contudo, o encontro com Dan White (Josh Brolin), um adversário de carreira política desencadeia o início do fim.

Votação: